Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.
João 8,32

Destruir a família é destruir a sociedade.
Cardeal Laurent M. Pasinya

quinta-feira, 8 de março de 2012

Arco Íris: sinal da aliança de Deus com Noé



De acordo o Livro de Gênese (9; 8-17);
Assim falou Deus a Noé e a seus filhos: “Quanto a mim, eis que estabeleço minha aliança convosco e com vossa descendência depois de vós e com todos os seres vivos que estão com os animais selvagens que estão convosco, todos os que saíram da arca, todos os animais da terra. Faço minha aliança convosco: nunca mais haverá dilúvio; nunca mais haverá dilúvio para devastar a terra”.

Disse ainda Deus: “Eis o sinal da aliança que faço entre mim e vós, e todos os seres vivos que estão convosco, para as gerações futuras: coloco meu arco na nuvem, e ele será o sinal da aliança entre mim e a terra. Quando eu acumular as nuvens sobre a terra, nelas aparecerá meu arco; recordar-me-ei então da aliança existente entre e vós e os seres vivos – toda carne - , e nunca mais as águas produzirão dilúvio para destruir toda carne. O arco aparecerá na nuvem, e ao vê-lo lembrar-me-ei da aliança perpétua existente entre Deus e os seres vivos de toda carne que estão sobre a terra”. Disse Deus a Noé: “É este o sinal da aliança que estabeleci entre mim e toda carne existente na terra”.

Devemos tudo a Noé, depois do dilúvio Deus fez um acordo com Noé sobre a existência futura dos seres humanos e dos animais na terra. Esse acordo foi possível graças a obediência de Noé, pois, Deus estava determinado a acabar com a existência dos seres vivos na terra. Com base nesse acordo, Deus prometeu que não haveria mais dilúvio no nosso planeta e prometeu uma grande descendência a família de Noé. Que somos nós!

A promessa está válida desde então, concluímos assim porque vemos o Arco na nuvem depois de uma chuva, o Arco Íris. Só pela existência desse não poderia haver dúvida da existência de Deus entre nós, bem como a existência do pecado. 

Deus é amor, não deseja que os seus filhos tomem a estrada errada e siga o caminho do mal. Deus nos deu a liberdade para decidirmos o caminho que desejarmos, mas as decisões terão consequências boas ou más e fará parte do julgamento final.

Assim, como na época de Noé, onde muitos não importaram com os desejos de Deus e muitos não acreditaram nos avisos de Noé sobre o dilúvio que viria. Hoje, muitas pessoas não dão à devida importância a conversão a Jesus Cristo e a Nossa Senhora (nossa mãe e mãe de Jesus). O que é pior, em muitas ocasiões, é dado louvor a Satanás.

Até o dia do julgamento final que está próximo, quem estará com Noé e quem estará destinado ao dilúvio? Cabe a qualquer um decidir.


Bruno Willian

Nenhum comentário:

Postar um comentário